top of page

Termotécnica desenvolve embalagem para Air Forno da Mueller

Com expertise de mais de duas décadas no fornecimento de embalagens para as Linhas Brancas e Marrom, a Termotécnica desenvolveu uma solução eficaz para o cliente Mueller. A fabricante de eletrodomésticos projetou e lançou o Air Forno, o primeiro produzido nacionalmente que une as funções de air fryer e forno elétrico em um único equipamento e possui grande capacidade (35 litros).

Para este produto pioneiro, a embalagem foi desenvolvida pela Termotécnica em parceria com a Mueller, contribuindo e respeitando os valores e propósitos da marca do cliente. De acordo com Fabrício Burger da Costa, Diretor Industrial da unidade de negócio Mueller Fogões, ”o desenvolvimento da Embalagem do Air Forno trouxe ganhos consideráveis, otimizando a mão de obra, o espaço físico na área fabril bem como ganhos logísticos. Conseguimos desenvolver uma embalagem sustentável que se adapta a diversos modelos de produtos, proporcionando menor uso de matéria-prima e menor investimento. A padronização de itens no processo produtivo também foi outro grande ganho que possibilitou a automação do processo de embalagem nestas linhas de montagem. No ponto de venda a embalagem de EPS tem um impacto mercadológico muito positivo, pois permite que o produto fique visível para o consumidor, ganhando destaque se compararmos com outras embalagens. O Air Forno Mueller é um projeto inovador, acondicionado de forma sustentável com alta proteção até o cliente final” .

O conceito de embalagem inteligente iPack proporciona uma proteção segura para o eletrodoméstico durante o armazenamento e transporte, sendo de fácil montagem na fábrica e de fácil remoção por parte do usuário final. Outra vantagem é a maior segurança e adaptabilidade aos diversos modais de transporte, viabilizando a modalidade de comercialização por e-commerce. Houve ganhos na conteinerização das mercadorias no caminhão, proteção da integridade física dos produtos durante o transporte, redução do peso total do produto embalado e aumento da competitividade nos envios via e-commerce.

Os ganhos da embalagem em EPS (mais conhecido como isopor*) já iniciam na linha de montagem do cliente. Com uma estrutura leve e segura, contribui para a ergonomia do processo. O design possibilitou simplificar o número de operações além de otimizar insumos, aumento da capacidade de armazenamento e transporte.

Em termos de sustentabilidade, a Termotécnica e a Mueller compreendem que a proteção ao meio ambiente é o alicerce da perpetuação de seus negócios. “Nossa abordagem ambiental traz a circularidade na prática, incluindo uma visão integrada desde uma concepção de produtos, eficiência operacional, passando por logística reversa e reciclagem e indo até novas cadeias produtivas, fechando o ciclo da economia circular. Pensando na cadeia logística como um todo, dar uma nova vida às embalagens pós-consumo, transformando-as em produtos nobres, atende à demanda da sociedade por uma atuação responsável das empresas em termos de sustentabilidade”, declara Albano Schmidt, da Termotécnica.

O EPS é formado por 98% de ar, não utiliza CFC e HCFC e por isso não gera danos à camada de ozônio. O seu processo requer baixíssima utilização de recursos naturais como água e energia, não contamina e não gera riscos à saúde e ao meio ambiente. E o mais importante, o EPS pode ser totalmente reciclável. Por ser mais leve que outros tipos de embalagens, a embalagem iPack contribui para reduzir o consumo de combustível e a emissão de CO2 durante o transporte. Permite também a redução da quantidade de resíduos durante o embalamento e em todo o ciclo de entrega.

Comentários


bottom of page