top of page

Reciclagem de plásticos pretos: rumo a uma economia circular

Reciclagem de plásticos pretos Os plásticos pretos têm sido notoriamente difíceis de detectar, mas os recentes desenvolvimentos tecnológicos tornaram possível classificá-los não apenas por cor, mas também por polímero, liberando valor econômico para as empresas de reciclagem. Este é um divisor de águas no setor de embalagens plásticas em rápida evolução, e a STADLER – fornecedora líder de plantas de triagem para a indústria de reciclagem – está experimentando um aumento na demanda por sistemas capazes de recuperar todos os plásticos pretos do fluxo de resíduos. Por meio de uma colaboração efetiva entre todos os participantes da cadeia de valor do setor, é possível uma economia circular benéfica financeira e ambientalmente.

As embalagens plásticas têm funções importantes na vida moderna, e passamos a confiar muito nelas. É um produto excepcional que, no entanto, tem um problema significativo de fim de vida. Isso é especialmente verdadeiro para o plástico preto, que até muito recentemente não podia ser detectado com a tecnologia disponível, o infravermelho próximo (NIR). “O emissor ilumina o material e o sensor faz uma leitura da radiação que é refletida”, diz Enrico Siewert, Diretor de Desenvolvimento de Produto e Mercado da STADLER. “No entanto, o material preto absorve a luz, então o sinal não retorna e o sensor não obtém uma leitura. Isso significa que o plástico preto é indetectável com a tecnologia amplamente implantada na infraestrutura de reciclagem.”

O plástico preto compõe uma parte significativa do lixo doméstico que, se não for recuperado, será incinerado ou enviado para aterro. Isso tem implicações não apenas ambientais, mas também financeiras, como explica Enrico Siewert: “Se as empresas de reciclagem não puderem recuperar plásticos pretos, elas podem perder até 15% do valor de seu material de entrada. Quando eles conseguem extrair esse material do fluxo de resíduos, eles podem criar valor econômico e impactar positivamente seus resultados.”

“Outra consideração importante é que cada vez mais embalagens são feitas de plástico preto, à medida que mais conteúdo reciclado é usado. Ao reciclar embalagens pós-consumo, se não forem rigorosamente classificadas por cor, o resultado é uma resina cinza. Isso não pode ser levado de volta ao branco, então muitos conversores adicionam pigmentação preta para obter uma cor muito uniforme e mais atraente. Nós, como sociedade, queremos mais conteúdo reciclado, veremos cada vez mais material preto no fluxo de resíduos. Consequentemente, as embalagens continuarão a tender para uma cor mais escura.”

bottom of page