top of page

Nova Indústria do Brasil e investimentos do PAC devem fortalecer a produção nacional em 2024


Após um final de ano com anúncios de grande impacto para a indústria brasileira, como a publicação das portarias que farão parte do Novo PAC, promovendo investimentos e ações estratégicas, a exemplo das Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs), o início de 2024 já traz perspectivas sobre os principais movimentos que devem influenciar a produção farmoquímica nacional. 

No último dia 22 de janeiro, ocorreu o lançamento da Nova Indústria Brasil (NIB), política liderada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), que visa estimular o fortalecimento da produção, tecnologia e impulsionar a participação do país no mercado internacional. Estão previstos mais de R$ 300 bilhões de investimentos até 2026, e, nesta iniciativa, as ações focadas no setor da saúde estarão entre as prioridades. 

“Estamos com perspectivas otimistas neste primeiro semestre de 2024. Uma das missões no NIB é a ampliação da produção de insumos e medicamentos nacionais, que irão proporcionar autonomia na indústria, além de investimentos em tecnologia e infraestrutura. Assim como o novo PAC, estas serão iniciativas de médio e longo prazo, com efeitos previstos nos próximos 10 anos, mas que trarão resultados de grande impacto não apenas para a cadeia produtiva nacional, mas à vida dos brasileiros, que terão um melhor abastecimento no sistema de saúde”, ressalta Marcelo Mansur, CEO da Nortec Química, maior fabricante de insumos farmacêuticos ativos (IFAs) da América Latina. 

Paralela às ações do Governo Federal, a indústria nacional já começa investir em projetos de expansão, tecnologia e inovação. Em 2023, a Nortec Química, aportou R$ 30 milhões na ampliação dos seus laboratórios de P&D, com o intuito de fomentar a pesquisa e aproximar cada vez mais as universidades do setor produtivo.

Comentarios


bottom of page