Crescimento do e-commerce no Brasil amplia demanda por embalagens


A pandemia contribuiu para que os brasileiros adotassem o e-commerce como principal opção na hora da compra. De acordo com informação da Confederação Nacional do Comércio, o e-commerce no Brasil deve fechar 2021 com faturamento de R$ 304 bilhões, um avanço de 38%. Com as vendas on-line registrando sucessivos aumentos e colocando o Brasil entre os 10 maiores mercados para o e-commerce, os varejistas viram suas operações nesta modalidade crescerem de maneira acelerada.

À medida que as compras no varejo digital avançam, cresce também a demanda por embalagens de alta proteção. Isso porque as embalagens em EPS são bastante apropriadas para transportar, proteger e acondicionar vacinas, medicamentos e alimentos, além dos diversos produtos adquiridos via e-commerce, como eletrodomésticos, eletrônicos, bebidas e artigos mais frágeis para casa, como louças e cristais.

Dados da Receita Federal, analisados pela FGV, apontam que os brasileiros compraram mais pela internet durante a pandemia. O isolamento social que restringiu a movimentação das pessoas e a preocupação com a segurança sanitária também fez crescer o delivery de alimentos e outros produtos em geral, uma tendência que tende a se manter. Adquiridos via e-commerce e entregues por delivery, os produtos embalados ganham ainda mais força para garantir que cheguem até a casa do cliente mantendo sua qualidade, integridade e mais protegidos contra vírus e bactérias. E mesmo nas compras feitas pelo computador, mas retiradas em um ponto de venda (na modalidade take away), é preciso que já estejam embalados e prontos para serem levados pelos clientes.

9 visualizações0 comentário