top of page

Coca-Cola impulsiona logística reversa com rastreamento de garrafas retornáveis



Promover alternativas sustentáveis tem sido um objetivo comum entre as empresas que estão comprometidas em minimizar os impactos climáticos. Desde transformar seus processos na cadeia produtiva até permitir um canal de comunicação direta com o consumidor, a tecnologia tem sido o vetor para diferentes iniciativas de governança ambiental. 

Alinhadas às práticas da ESG – sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança e que completa 20 anos de sua criação em 2024 – empresas investem em recursos tecnológicos que promovam soluções com foco na sustentabilidade. O estudo “Reimaginando o futuro da indústria”, lançado no último ano pela consultoria Ernst & Young, apontou que 35% das empresas que responderam à pesquisa apontam ESG como principal motivador de investimentos tecnológicos e mais de três quartos dos entrevistados acreditam que as tecnologias podem exercer um papel fundamental na diminuição das emissões de carbono das suas empresas. 

Parte indispensável do trabalho realizado no planejamento sustentável, a logística reversa é uma das áreas potencializadas pela inserção da tecnologia. Exemplo dessa prática, a Coca-Cola passou a inserir o padrão de código 2D GS1 Digital Link nas suas embalagens retornáveis. Com o objetivo de ter maior gestão do parque de vasilhames retornáveis, a iniciativa consiste na gravação do código por laser nas garrafas para maior controle logístico das embalagens e a mensuração de possíveis impactos causados.

Comentarios


bottom of page