Valgroup, investe na Deink Brasil


Maior produtora de embalagens plásticas da América Latina e uma das maiores recicladoras de plásticos do mundo, a Valgroup, empresa nacional com operações em outros quatro países (EUA, México, Espanha e Uruguai) investe na Deink Brasil com o objetivo de incluir na cadeia de reciclagem mecânica produtos que hoje são aterrados, ampliando a economia circular de milhares de produtos.

O processo de remoção de tinta exclusivo da Deink Brasil, chamado destintamento, permite a remoção total das tintas dos resíduos plásticos impressos, trazendo mudanças significativas ao mercado de reciclagem mundial. A tecnologia utilizada pela Deink, já patenteada em 21 países, resulta em materiais com características similares às do plástico virgem. Além de contribuir para aumentar a reciclagem de plásticos, a tecnologia usa o sistema de “circuito fechado” para a recuperação da água, sem qualquer uso de solventes ou produtos químicos que possam prejudicar o meio ambiente.

“Atualmente, as embalagens de plásticos impressas não têm valor no mercado por serem difíceis de reciclar. Com essa nova tecnologia da Deink, que limpa a tinta das embalagens plásticas, será possível agregar valor ao material”, explica o diretor de Relações Institucionais e Compliance da Valgroup, Eduardo Berkovitz.

Com capacidade total de produção de 800 mil toneladas de embalagens plásticas por ano e de reciclagem de 130 mil toneladas/ano, a empresa brasileira acaba de completar 46 anos e está entre as pioneiras na adoção de tecnologias, processos e soluções inovadoras com foco em sustentabilidade, em sintonia com o conceito ESG (Meio Ambiente, Social e Governança, em português).

A capacidade de reciclagem da companhia terá um acréscimo inicial de 4 mil toneladas por ano com o processo de destintamento. A meta é acelerar a construção de novas plantas Deink pelo Brasil, bem como fomentar o desenvolvimento de novas tecnologias.

A iniciativa também vai possibilitar uma renda extra aos catadores, que passarão a ter uma nova opção de coleta de plástico impresso. Estima-se que as embalagens de plástico impresso terão uma valorização da ordem de 50%.

16 visualizações0 comentário