Vale do Silício paranaense ganha mais uma empresa de inovação


Considerada o Vale do Silício paranaense, Maringá se firmou, na última década, como um dos centros mais inteligentes do Brasil. Com cerca de 400 empresas voltadas à tecnologia da informação, a cidade movimenta, segundo a Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide), mais de R$1,2 bilhão ao ano no setor. Pensando em contribuir para a disrupção da região, a GTfoods lançará, em abril, seu próprio braço de tecnologia, a GTtech.

A iniciativa irá se somar às quase 130 startups maringaenses, que, de acordo com levantamento realizado pelo Sebrae, em 2021, fazem do município um dos principais pólos de inovação do país.

Criada para atender e suprir, a princípio, a demanda interna, a GTtech será mais uma unidade de negócios do grupo, junto aos frigoríficos, as fecularias, os postos de combustíveis e a indústria de embalagens. “A ideia surgiu da nossa necessidade de automatizar e integrar os processos da companhia. O objetivo é trazer mais inteligência de mercado para a nossa atuação, melhorando a rapidez e a assertividade com que interpretamos dados e tomamos decisões”, explicou o Vice-Presidente Executivo e Financeiro da GTfoods, Carlos Eduardo de Grossi Pereira.

Apesar da avicultura brasileira ser um segmento acostumado a empregar alta tecnologia em suas operações - tanto que, atualmente, o país é o maior exportador de carne de frango do mundo - o Gerente Corporativo de Tecnologia da Informação do Grupo GTfoods, Sílvio Gomes, identificou uma dificuldade em encontrar fornecedores que falassem a mesma língua da empresa e tivessem um tempo de resposta adequado ao cronograma institucional.

60 visualizações0 comentário