Startup desenvolve inovação para evitar a falta de oxigênio medicinal


A crise gerada pela falta de oxigênio medicinal que provocou dezenas de mortes de pacientes de Covid-19, em Manaus, evidenciou um grave problema de monitoramento e acompanhamento no tratamento de doenças que necessitam do insumo. Para ajudar a evitar situações como esta, a startup Salvus, de Pernambuco, desenvolveu o ATAS O2, dispositivo que utiliza inteligência artificial para monitorar de forma automatizada os estoques de oxigênio. O projeto foi desenvolvido em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e está pronto para entrar no mercado.

Pesquisadores da Unidade EMBRAPII –participaram do desenvolvimento do projeto, que traz Internet das Coisas (IoT) em seu conceito. Na prática, o equipamento conecta os cilindros à internet para que o monitoramento aconteça de forma automática, ou seja, sem necessidade de trabalho humano. Os dados de consumo e estoque são transmitidos para o computador do gestor da instituição ou empresa responsável, que faz o gerenciamento remoto da carga.

11 visualizações0 comentário