Heinz e o Instituto Espacial Aldrin plantam tomates Heinz em solo com condições de Marte


A Heinz, em colaboração com a equipe de Astrobiologia do Instituto Espacial Aldrin, da Florida Tech, o Instituto de Tecnologia da Flórida, nos EUA, conseguiu cultivar Tomates Heinz sob condições de solo marciano. Em uma experiência inédita que levou dois anos de produção, os Mestres Tomateiros da Heinz, especialistas na análise de técnicas para o cultivo em condições extremas, somaram esforços com a equipe do Instituto Espacial Aldrin, que está pesquisando formas de sustentar a raça humana durante muitas gerações em outros planetas, para fazer o derradeiro teste envolvendo a agricultura fora do nosso mundo. Esta é uma área de investigação cada vez mais importante, considerando a degradação do solo que o nosso planeta tende a enfrentar.

O resultado? Uma cultura de Tomates Heinz com as qualidades exatas que passaram no teste para se tornarem o icônico ketchup, e um dos maiores esforços do gênero já realizados.

O primeiro de três artigos científicos traçando o início desta missão foi submetido à revisão por pares, cobrindo a fase de descoberta do projeto; uma análise do simulador de regolito (solo) marciano e a sua composição biológica, seguida de uma lista das sementes híbridas dos Tomates Heinz que teriam um melhor desempenho nas condições. Isto posto, foram escolhidos dois tipos de sementes e iniciou-se uma cultura desses tomates em maior escala nestas condições.

Uma estufa sob medida, apelidada de "Redhouse", foi construída no terreno do Instituto Espacial Aldrin dentro do Instituto de Tecnologia da Flórida. A estufa imitava as condições de bioma que os humanos enfrentariam ao plantar no planeta vermelho. Uma equipe de 14 cientistas e estudantes passaram 2.000 horas ao longo de nove meses, trabalhando com os especialistas da Heinz ao longo de dois anos para aperfeiçoar a cultura.

7 visualizações0 comentário