Campanha da Cervejaria Dádiva questiona o silêncio social

diante da violência doméstica contra a mulher

"O dia é da mulher, mas a luta é de todos. Essa não é uma data marcada por celebração, mas por luta. É o símbolo de uma batalha que travamos todos os dias por direitos. Buscamos hoje, sim, equidade de gênero - questão que nos é tão urgente e necessária - mas algumas mulheres ainda batalham pela simples sobrevivência. E, o que é mais triste, dentro de suas próprias casas", pontua Luiza Lugli Tolosa enquanto explica o que motivou a criação da campanha de Dia das Mulheres da cervejaria Dádiva, da qual é sócia-fundadora.

As campanhas de Dia das Mulheres da Dádiva, marca criada e gerida por uma mulher, sempre têm como mote o protesto contra as desigualdades de gênero. Neste ano, a ação questiona o silêncio pernicioso da sociedade diante da violência doméstica contra a mulher, que, no último ano, aumentou ainda mais no cenário de isolamento social decorrente da pandemia.

Dados publicados em abril de 2020 pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública indicam crescimento da violência doméstica e familiar no Brasil, apontando que o número de feminicídios aumentou 46% em São Paulo, 67% no Acre e triplicou no Rio Grande do Norte.

6 visualizações0 comentário