Ações da Kellogg para o Meio Ambiente focam emrecicláveis e reaproveitamento de resíduos


A Kellogg acredita que um legado de ações voltadas para a sustentabilidade mostra o caminho para que o planeta, de fato, se torne um lugar melhor para todos. Pensando nisso, em seu complexo industrial no Brasil, em São Lourenço do Oeste (SC), há anos a companhia desenvolve metas para reduzir o volume de resíduos orgânicos gerados até 2030 e, nos próximos três anos, tornar recicláveis, reutilizáveis ou compostáveis todas as embalagens de produtos do seu portfólio.

Já é possível registrar resultados positivos. Atualmente, 50% de todo o volume de resíduos gerados na planta são encaminhados para alimentação animal e outros 17%, reciclados. E a meta é ir além: até o final da década, além de diminuir em 50% a geração de resíduos orgânicos, também está estipulada a redução em 45% da emissão dos gases causadores de efeito estufa e de 30% do consumo de água na unidade brasileira.

Os números fazem parte de uma filosofia que envolve a todos, incluindo os colaboradores, que recebem treinamento sobre as práticas ambientais ao serem contratados e têm as metas repassadas para acompanhamento mensal. Desta forma, é possível assegurar que todos os resíduos gerados na planta sejam destinados corretamente, priorizando reciclagem e trabalho com o coprocessamento para ração animal, além da busca permanente para melhorar o uso das fontes de energia. A Kellogg também mantém parceria com o programa DAMF (Dê a Mão para o Futuro -- Reciclagem, Trabalho e Renda), da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos em aliança com a ABIMAPI (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados) para reciclagem de embalagens pós-consumo, incentivando e valorizando o trabalho dos catadores de material reciclado no país.

4 visualizações0 comentário